O que mais distrai a atenção do motorista ao volante?

Covid19: como renovar a CNH em tempos de pandemia
19 de maio de 2020
Estacionamento exclusivo para clientes: qualquer loja pode ter?
25 de maio de 2020

Tirar a atenção do motorista pode trazer consequências graves, e até fatais. Hábitos bem normais, tais como, ouvir aquela música em alto e bom som ou checar mensagens que chegaram via celular. Todas essas distrações fazem parte da rotina da maior parte da rotina dos condutores.
Com o dia a dia cada vez mais agitado, muitas vezes saímos de um compromisso e, em seguida, entramos em outro. Tudo num curto espaço de tempo.

Temos a impressão de que o dia precisava ter algumas horas a mais do que já tem.

Nesse cenário, estar com o carro parado no semáforo soa como uma “tentação” para adiantar algo no trabalho: ler e-mail, responder cliente. Cada minuto é sagrado.

Mas será que temos consciência de que, no trânsito, qualquer distração pode ser fatal?

Celular e maquiagem tiram a atenção do motorista
Uma coisa é certa: dirigir requer atenção integral.

Não há espaço para distração.

Por mais que pensemos que vamos “dar conta” de fazer duas ou mais coisas ao mesmo tempo, ao volante isso é impossível.

Os números estão aí para provar: o uso do celular figura entre a terceira maior causa de mortes no trânsito aqui no Brasil.

No caso da maquiagem ao volante, ainda não temos uma estatística nacional. Mas no Reino Unido, 450 mil acidentes são registrados a cada ano por este motivo.

Ou você lê uma mensagem e dá um trato no visual, ou presta atenção no tráfego.

E pra quem pensa que usar celular ou se maquiar com o carro parado no semáforo é permitido, engana-se. O motorista, mesmo sem o carro andando, precisa estar atento à via.

Itens que tiram a atenção do motorista e como evitá-los
Há uma infinidade de coisas que podem causar distração ao volante.

Mas é importante saber que podemos evitar cada uma delas.

Vejamos:

Insetos dentro do carro: Não podemos impedi-los de entrar, mas se entraram, abra totalmente os vidros e eles sairão. Caso não saiam, pare o carro em um lugar seguro e abra todas as portas. Certamente resolverá.
Trocar a estação de rádio: Hoje em dia, alguns carros trazem essa opção no volante. Se não for o seu caso, selecione sua rádio favorita antes de sair de casa.
Comer: Se você for o motorista, não tem outra opção: pare o carro e coma. Fazer isso dirigindo é extremamente perigoso.
Passar por belas paisagens ou pontos turísticos: Nada de ficar olhando com o carro em movimento. Estacione o veículo e aproveite para fazer fotos incríveis.
Tentar pegar algo dentro da bolsa: Tente fazer isso em outro momento. Ainda em casa, certifique-se de tudo que vai precisar (por exemplo, seu óculos escuro).
Uso de tecnologias de orientação GPS: Aliado daqueles que não conhecem uma localidade, podem ser vilões se usados de maneira inadequada. O ideal é ativar o som para que as orientações sejam dadas via áudio, sem que tenha de olhar a tela.
Maquiagem: Não seria melhor ficar em casa mais uns cinco minutos para finalizar a make?
Celular: Esse aqui é um grande vilão. Celular e volante não combinam. Portanto, a regra é não usá-lo enquanto dirige. Evite, assim, multas e acidentes.
Quem é mais distraído
Há controvérsias.

Mas pesquisas apontam que os homens tendem a ser mais distraídos.

Um levantamento feito pela consultoria Smith’s Lawyers concluiu que eles têm:

22% mais propensão a usar o smartphone enquanto dirige;
260% mais chance de se distrair com pedestres;
70% mais predisposição a assistir vídeos ao volante.
As mulheres são mais prudentes, gentis e cuidadosas. E também mais centradas.

Legislação e penalidade
As distrações apontadas acima podem ser enquadradas como infrações por vários motivos, segundo a legislação atual.

Mas um artigo que une a todas é o 169, do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Ele classifica como infrator aquele motorista que “Dirigir sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis à segurança”.

O artigo 252 também prevê punição para quem dirige “com apenas uma das mãos, exceto quando deva fazer sinais regulamentares de braço, mudar a marcha do veículo, ou acionar equipamentos e acessórios do veículo”.

Que come, faz make ou usa celular, com certeza irá dirigir com apenas uma das mãos.

Na dúvida, o melhor mesmo é seguir as regras, ciente de que elas não foram criadas por acaso, mas visando a segurança de todos.

Bônus: como funciona a atenção do motorista?
Há diversas teorias para explicar o que chama a atenção das pessoas.

Uma delas diz que a atenção do ser humano é atraída por estímulos positivos ou negativos. Vai depender do contexto.

Ou seja, para nosso cérebro, ruídos altos e constantes, como o barulho de ambulâncias, tendem a ser interpretados como estímulo negativo. Um outdoor ou propaganda mostrando um hambúrguer bem bonito, ou uma roupa elegante, estímulo positivo.

Quando estamos em ambientes seguros, um shopping ou parque, a atenção será mais voltada a aos estímulos positivos. Por exemplo, aquilo que traz prazer ou satisfaz rapidamente os instintos primários, tais como, fome, sede, sono, etc.

Sendo assim, em cenários não seguros, como numa estrada perigosa, ou no tráfego de uma grande metrópole que não conhecemos, nossa atenção tenderá a ficar alerta aos estímulos negativos: buzinas, freadas bruscas do motorista à sua frente, etc.

Fonte: https://icetran.com.br/blog/o-que-distrai-a-atencao-do-motorista/

Alexandre Feijó
Alexandre Feijó
CONSULTOR DE TRÂNSITO Experiência de mais de 12 anos no ramo. Bacharel em Administração e Gestão em Trânsito pela UNIVALI/SC, Bacharel em Direito pela UNIBAN/SC, atua na área do Direito de Trânsito (recurso administrativo contra suspensão e cassação do direito de dirigir, infrações de trânsito em geral).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *